domingo, 12 de julho de 2020

Muito mais do que um simples relato da criação - Gênesis 1 e 2.1-3

Você sabe como foram os detalhes da criação? Já ouviu um bom sermão sobre Gênesis 1?

Estava relendo o texto bíblico de Gênesis, e sempre me apeguei na forma de utilizá-lo e vê-lo como uma resposta ao evolucionismo. Como se o texto bíblico fosse um tratado científico.

Com o passar dos anos, aprendi que o mais importante em um texto bíblico é descobrir o que Deus está falando para sua Igreja. A mensagem que Deus tem a passar para aqueles que estão desfrutando da gloriosa escritura.

Diante disso, voltei e reli Gênesis, mais uma vez. Sem a venda dos questionamentos científicos e das respostas prontas que eu buscaria no texto, para a ânsia de satisfazer minhas inquietudes diante das perguntas tão vorazes contra o criacionismo.

Tenho algo para dizer: Que linda é a Escritura! De uma beleza sem igual. Que magnífico é ler e imaginar todo o processo meticuloso e extraordinário que foi o momento da criação.

Cada dia com sua magnitude.

No início, no primeiro dia, surge a luz, Deus separa luz e trevas, em uma terra sem forma e vazia.

Logo em seguida, no segundo dia de glória, Deus cria os Céus e faz separação entre águas e águas, o local já não é mais disforme.

Em um terceiro momento, após mais um dia, o Criador faz a terra e os mares. Surgem a relva e as árvores, todas das mais variadas espécies, com suas sementes e seus frutos.

Já no quarto dia de criação, Deus, faz um dos trabalhos mais fascinantes: os luzeiros no firmamento! Eles fazem separação de dia e noite, servem para sinais, para estações, para dias e para anos, tudo narrado pelas palavras do Criador. Eles encantam até mesmo os descrentes, e são enigmáticos a todos os que buscam conhecê-los. Dois luzeiros criados se destacam, um governa o dia, e o outro a noite. É o nosso Sol e a Lua.

Tudo já tão belo, nosso planeta devidamente ordenado e ornamentado, surgem os animais. O quinto dia é das aves, peixes e animais marinhos, abençoados para serem fecundos e povoarem a terra.

No sexto dia de trabalho, e talvez o com mais detalhes, Deus cria os seres viventes da terra, animais domésticos, répteis e animais selváticos. Então, como se já não bastasse, temos o ápice da criação, homem e mulher, aqueles que são criados a imagem e semelhança do Criador. Que recebem a bênção de serem fecundos, encherem a terra, e sujeitá-la. Onde todo o fruto da terra, e todo o animal lhe servirão para mantimento.

Depois, após concluso céus e terra, e todo o exército neles contidos, Deus conclui sua obra no sétimo dia o abençoando, porque nele descansou de toda a obra que como glorioso e majestoso Criador realizou.

E nem mesmo eu e você escapamos do Criador. Lembro das palavras de Jesus em Mateus 10.30: “E, quanto a vós outros, até os cabelos todos da cabeça estão contados.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala que eu te escuto! Deixe seu comentário...